Descobrindo o Amazonas

O El Dorado é aqui

Manaus > Ponta Negra

 English

Construído na década de 90, o complexo de lazer da Ponta Negra modernizou cerca de 2 km da orla do Rio Negro, no extremo oeste da cidade, dotando este espaço com quadras de esportes, bares e diversos outros serviços. Porém, sem receber qualquer tipo de manutenção durante os anos seguintes, o local foi se deteriorando pouco a pouco até ficar quase que completamente abandonado. Um contraste gritante quando pensamos que o complexo está localizado no bairro mais nobre de Manaus, com seus luxuosos edifícios residenciais.

Nova Ponta Negra

Mas nem tudo está perdido! Em 2010, a Prefeitura lançou um projeto de revitalização da Ponta Negra. Novas quadras de esportes, praças, anfiteatro modernizado, mirante e bares com vista privilegiando o Rio Negro eram algumas das propostas do projeto. Além disso, há planos de se construir um moderno Teatro Municipal às margens do rio, com capacidade para 1.400 pessoas, e também atrair investimentos privados para instalar restaurantes de marcas renomadas no local, devolvendo à Ponta Negra o status de cartão postal da cidade.

A primeira etapa das obras de revitalização foi inaugurada em dezembro de 2011 e o resultado atendeu a todas as expectativas. Não há, em nenhuma outra parte da cidade, um ambiente de visual tão moderno e arrojado que, ainda por cima, privilegia a visão do majestoso Rio Negro. Nesta primeira etapa, três mirantes se lançam em direção ao rio, oferecendo aos freqüentadores um ótimo local para contemplação. Além disso, uma fonte de águas dançantes e um belo trabalho de paisagismo criam um espaço agradabilíssimo para caminhar e descansar com a família.

Porém, a maior novidade desta primeira etapa do projeto é a praia perene. Cerca de um milhão de metros cúbicos de areia foram colocados no leito do rio para permitir a presença constante de uma praia fluvial, a qual irá resistir ao regime de cheia das águas. A praia é um dos pontos mais frequentados do complexo e serve como prova do brilhantismo da engenharia moderna que conseguiu superar a variação do nível da água, a qual chega a atingir mais de 15 metros de altura entre o período da seca e o da cheia do rio.

Talvez a única decepção dessa primeira etapa seja o anfiteatro que, embora imponente e belamente revitalizado, continua servindo apenas de enfeite, já que nenhuma apresentação cultural é exibida regularmente no seu palco, com exceção dos shows de réveillon da cidade.

O restante do complexo já foi fechado para reforma e a inauguração da segunda e última etapa está prevista para 2013.

Uma janela para o Rio Negro

Em uma cidade que cresceu de costas para o Rio Negro, a Ponta Negra é um dos poucos locais onde é possível admirar a beleza da orla fluvial de Manaus. Nesse ponto, o rio possui impressionantes 10 km de largura. Do outro lado, margeando o rio, o paredão verde da floresta se ergue, enquanto a modernidade aparece representada à esquerda pela imponente Ponte Rio Negro, que à noite exibe uma bela iluminação cênica. A vista, não importa a hora do dia, é sempre de tirar o fôlego.

Ao lado do complexo de lazer estão localizados dois dos hotéis mais luxuosos da cidade: o Hotel Tropical e o Park Suites. O segundo surgiu quando uma rede de hotelaria internacional adquiriu do primeiro a Business Tower, um belo edifício construído às margens do rio. Essa torre, hoje denominada Park Suites, possui uma localização estratégica que a torna ponto de visitação obrigatória para turistas e até mesmo moradores locais.

Antigamente, era possível visitar a área de lazer do edifício. Ali o visitante se deparava com uma piscina de borda infinita, causando a impressão de que a piscina e o Rio Negro eram um só. Passarelas de madeira erguidas sobre cascatas de água povoadas por tambaquis (um peixe amazônico) completavam o cenário paradisíaco. Hoje em dia, porém, essa área é restrita aos hóspedes do hotel.

Contudo, desde a metade de 2011, o Park Suites oferece uma outra atração ainda melhor, e aberta a não hospedes. No último andar do edifício foi inaugurado o Bistrô Mon Plaisir, que oferece um delicioso cardápio de pratos tradicionais com ingredientes amazônicos, desde carnes e filés até massas e frutos do mar. O grande trunfo do local, no entanto, não se resume apenas à comida, mas sim à belíssima visão panorâmica que ele oferece da sua varanda, com a imensidão do Rio Negro de um lado e o verde infinito da floresta do outro. Uma vista que nos faz sentir pequenos diante de tanta beleza e grandeza.

O restaurante abre todos os dias para jantar e aos sábados e domingos também para almoço. É possível também visitar o local no final da tarde, a partir das 17h, quando o restaurante funciona para happy hour, com um cardápio diferenciado. Nesse horário, a grande vantagem é poder apreciar o indescritível pôr-do-sol amazônico de um lugar único e privilegiado.

Antes de sair do complexo hoteleiro vale a pena visitar o píer do Hotel Tropical, cujo acesso se dá através de uma pequena trilha de mata nativa. Esse é outro local excelente para assistir ao pôr-do-sol e onde, entre setembro e janeiro, se forma uma bela praia fluvial.

Resumindo...

Não deixe de ver/fazer:

  • Contemplar o Rio Negro em um dos três mirantes do parque;
  • Apreciar o pôr do sol, a partir das 17h;
  • Visitar o píer do Hotel Tropical, onde uma praia fluvial se forma entre setembro e janeiro;  
  • Almoçar e/ou jantar no Bistrô Mon Plaisir, localizado no topo do hotel Park Suites.

- A Ponta Negra, após sua revitalização, se tornou um local tranquilo e seguro, livre de mendigos e camelôs, inclusive à noite. 

- Trata-se do melhor local da cidade para ver o pôr do sol.

- Se você não gosta de multidões, evite ir à Ponta Negra aos sábados e domingos após as 10h da manhã. Por se tratar do único balneário na área urbana de Manaus, o local fica absurdamente lotado nos finais de semana. 

- O Hotel Tropical é aberto para a visitação de não hóspedes. A visita ao píer é gratuita, mas para entrar no mini-zoológico do hotel é preciso pagar uma taxa de 7 reais. A visita ao mini-zoólogico, na minha opinião, não vale a pena.

- A entrada na área de lazer do hotel Park Suites, que inclui uma bela piscina de borda infinita, agora é restrita aos hóspedes. No entanto, o Bistrô Mon Plaisir, localizado no topo do edifício, é aberto ao público.

- Os preços cobrados no Bistrô Mon Plaisir são caros, mas não absurdos. Uma refeição bem servida custa em torno de 50 reais por pessoa. O cardápio de happy hour, servido a partir das 17h, inclui petiscos mais baratos.

-  Vale a pena visitar a Ponta Negra em qualquer horário do dia ou da noite. Durante o dia, a visão do rio é espetacular, enquanto à noite é possível apreciar a iluminação cênica da Ponte Rio Negro.

- As opcões gastronômicas da Ponta Negra ainda são limitadas e incluem apenas uma sorveteria, uma  barraca de tacacá e uma tenda de açaí. No entanto, há previsão de que alguns restaurantes e bares se instalem no local nos próximos meses.

- A entrega do restante do complexo, já fechado para reforma, está prevista para 2013.

Para ver fotos da atual Ponta Negra, clique aqui. Para ver fotos do projeto da Nova Ponta Negra, clique aqui.

Comentários